Protomártires do Brasil serão canonizados

A Igreja no Brasil está em festa: o Papa Francisco aprovou a canonização dos protomártires André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, sacerdotes diocesanos, e Mateus Moreira e seus vinte e sete companheiros leigos.

Em 1645, no Rio Grande do Norte, eles derramaram seu sangue por amor a Cristo. A aprovação da canonização saiu no decreto da Congregação para a Causa dos Santos que recebeu a aprovação do Papa Francisco. O documento foi divulgado hoje pelo Vaticano.

Os chamados mártires de Cunhaú e Uruaçu foram beatificados no ano 2000. “Desde então, o processo se intensificou e agora com esta aprovação do Santo Padre temos como certa a canonização”, disse o arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha.

Dom Jaime diz que a Igreja no Brasil, em especial no Rio Grande do Norte, está em festa com a notícia e deve dar graças a Deus pela canonização desses mártires. “Isto para nós é motivo de alegria; que a intercessão dos nossos mártires pela nossa Igreja no Brasil, pela nossa Arquidiocese e por todo o povo de Deus seja um sinal de esperança, de testemunho, de convicção na vivência da nossa fé. Eles são um exemplo porque deram a vida, derramaram o sangue, na vivência de sua fé”.

Em 16 de junho de 1645, padre André de Soveral e outros 70 fiéis foram cruelmente mortos por 200 soldados holandeses e índios potiguares. Os fiéis estavam participando da missa dominical, na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho Cunhaú – no município de Canguaretama (RN). Em 03 de outubro de 1645, três meses depois, houve o massacre de Uruaçú. Padre Ambrósio Francisco Ferro foi torturado e o camponês Mateus Moreira, morto. Os invasores calvinistas não admitiam a prática da religião católica.

Os protomártires são os primeiros mártires de uma determinada região. Considerando a Igreja católica em sua totalidade, o protomártir é Santo Estêvão.

Por Canção Nova, com Rádio Vaticano

 

Liturgia Diária

Evangelho: Santa Maria Madalena. Memória

Santo: Santa Maria Madalena

Mensagem do Bispo

Uma Igreja Viva e Ministerial