Pedagoga explica importância da leitura durante a infância

Nesta terça-feira, 18, é celebrado o Dia Nacional do Livro Infantil. Instituída em 2002, a data é uma homenagem ao escritor Monteiro Lobato, que dedicou-se à literatura infantil no país.

A leitura é uma prática importante para o desenvolvimento da criança, uma vez que proporciona conhecimentos e descobertas que jamais serão perdidas. Por este motivo, segundo a pedagoga Rafaela Monteiro de Oliveira, incentivar as crianças à leitura colabora com seu aprendizado, pois este hábito é uma ferramenta eficaz para adquirir habilidades para a comunicação.

“A criança passa por uma série de descoberta no seu processo de desenvolvimento e uma das ferramentas mais eficazes para apresentar a elas são os livros. Através da leitura, a criança passa a se observar mais, adquirir habilidades para comunicação, sem falar do rico conhecimento que vão adquirindo em cada leitura” afirma.

O hábito de ler é uma prática adquirida e se torna um investimento de longo prazo, que deve se iniciar muito cedo na vida da pessoa. Por esta razão, a psicopedagoga observa que a ilustração contida no livro infantil pode ser um grande atrativo para prender a atenção das crianças.

“As cores, as formas que o livro tem, desperta ainda mais interesse na leitura. Por isso, ter um livro em mãos é sempre bom. Vivendo em um mundo tão tecnológico, é importante resgatar os velhos hábitos e apresentar às crianças as diversas formas de leitura”, acrescenta.

A pedagoga diz ainda que mesmo o livro não fazendo tanto sentido para a criança, é importante incluí-lo durante a infância, pois a rotina de uma leitura prazerosa e diferenciada desperta o gosto pela leitura.

“Quando eles ainda são bebês, temos diversos livros voltados para esta idade, livros de
banho que contém somente ilustrações, entre outros. Para os maiores, é importante conhecer a criança, saber o que mais lhe chama a atenção e procurar livros relacionados a temas de seu agrado”.

Para que seja criado um hábito prazeroso, a leitura não deve ser imposta, mas sim, conquistada, para que o prazer em ler seja duradouro e não momentâneo. “Não importa a idade, também é sempre válido o momento da leitura em família, isso cria laços e faz da criança um protagonista de novos aprendizados”. 

Incentivo à leitura

Incluir os filhos ainda pequenos no universo da leitura acaba sendo um desafio para os pais. Ricardo Martins e Maísa, pais de Ana Laura, 7, e Miguel, 4, relatam que tentam ser dinâmicos e seguem algumas técnicas para atrair a atenção dos filhos com as leituras.

“Às vezes eles não querem sentar, mas depois se acalmam e demonstram interesse. Sempre querem figuras. Procuram todas que compõe o livro. Depois pedem para pegar outro livro. Aliás, pegam ‘só mais esse e aquele’ e logo estão com três, quatro, ou cinco livrinhos. Às vezes, quando estão sozinhos, pegam um livro e reiniciam a leitura, reinventando a história”, relatam.

Desde quando tinham um ano de idade, os pais de Ana Laura e Miguel já mostravam a eles figuras em livros e revistas, relatando alguma história. A partir desse costume, Ricardo conta que percebe diferença nos filhos quando eles estão junto com outras crianças da mesma idade.

“Os professores falam que eles são mais concentrados. Em casa, vejo que eles conseguem desenhar muito bem, detalhadamente. Também se interessam por outras atividades, como caça-palavras, jogo dos sete erros e de colorir. Não gostamos de deixá-los muito tempo na frente da TV, nem com o celular ou outros aparelhos eletrônicos. Eles brincam muito com coisas artesanais. Acho que a leitura os preenche e os leva a essa atitude em ser ativos para as demais brincadeiras”.

Futuro da criança

A pedagoga Rafaela Monteiro afirma que pais que incentivam os filhos à leitura desde pequenos auxiliam no futuro da criança, desenvolvendo ainda mais seu lado crítico e inovador. “A imaginação faz da criança um ser inovador, criando pensamentos críticos e sempre interessado a questionar tudo o que faz parte de sua vida. Imaginar leva a criança a sonhar com algo melhor”.

A profissional finaliza dizendo que todo tempo em família pode ser propício para a leitura, basta usar a criatividade para modificar o ambiente, tornando-o mais atrativo a fim de que a criança sinta interesse em participar deste momento.

“Pais, permitam que sua imaginação voe tão alto quanto do seu filho para que ele veja em você um exemplo para realizar a leitura” conclui.

Por Canção Nova

 

Liturgia Diária

Evangelho: Sábado da 2ª Semana da Páscoa

Santo: Santa Catarina de Sena

Mensagem do Bispo

Uma Igreja Viva e Ministerial