Papa jamais pensou renunciar viagem ao Egito

“O Papa Francisco jamais pensou renunciar a viagem ao Egito”, afirma o secretário de Estado vaticano, Cardeal Pietro Parolin em entrevista à Secretaria para a Comunicação, na qual identifica os temas principais da viagem do Santo Padre ao país árabe, hoje e sábado (28 e 29 de abril), a qual tem como tema “O Papa da paz no Egito da paz”.

“Jamais pensou renunciar a viagem exatamente porque quer fazer-se presente, quer estar onde existem situações de violência, situações de conflito, e neste caso propriamente no Egito, e quer ser mensageiro de paz onde há mais necessidade de anunciar e de trabalhar pela paz.”

“Certamente o fará com a sua palavra, nos vários encontros, mas o fará, sobretudo e acima de tudo, com a sua presença, uma presença de proximidade, de solidariedade, de encorajamento. Portanto, o Papa irá exatamente porque o Egito necessita de alguém que anuncie a paz e que busque trabalhar pela paz”, explica o purpurado na entrevista.

E sobre o terrorismo e os atentados às igrejas coptas no Domingo de Ramos, “O governo deve fazer tudo que for possível para proteger os cidadãos egípcios, independentemente do grupo social ou religioso ao qual pertençam. Porém, evidentemente, o terrorismo é um desafio muito mais amplo”, pondera o Cardeal Parolin.

Segundo o secretário de Estado vaticano deve-se dar aos jovens “um sentido da vida, devem ser propostos a eles valores pelos quais vale a pena viver, empenhar-se e lutar, ao invés de perder-se neste turbilhão de violência e de destruição que é verdadeiramente insensato”.

Por Rádio Vaticano

 

Liturgia Diária

Evangelho: Apresentação de Nossa Senhora . Memória

Santo: São Gelásio I

Mensagem do Bispo

Uma Igreja Viva e Ministerial